sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Roberto Gómez Bolaños criador do Chaves nos deixa hoje aos 85 anos de idade.

O Comediante que interpretava o Chaves que no qual também foi seu criador, faleceu nesta tarde às 14:30 hrs (horário do México) em sua casa em Cancún.
Ele tinha uma saúde "frágil" e vivia com a esposa Florinda Meza.



A Última mensagem divulgada pelo perfil oficial de Bolaños no twitter: "Todo meu amor ao Brasil". Ele escreveu em resposta a uma fã brasileira no microblog.

Dono de frases antológicas como "ninguém tem paciência comigo" e "não contavam com minha astúcia", que marcaram gerações de fãs em toda a América Latina,
Roberto Gómez Bolaños, criador do seriado "Chaves" e "Chapolin", também humorista, escritor, ator, produtor de cinema, televisão e teatro.



Edgar Vivar interprete do senhor Barriga em "Chaves", informou à CNN do México que o corpo do comediante à Cidade do México, onde será velado.

"O México perdeu um ícone, cujo trabalho transcendeu gerações e fronteiras", disse o presidente mexicano, Enrique Peña Nieto.

Trabalho reconhecido pelo mundo:
"Chaves" foi o programa mais visto da televisão mexicana e foi dublado em 50 idiomas, segundo a Televisa.

Ganhou o apelido de Chesperito do diretor de cinema Agustín P. Delgado por causa do 1,60 de altura.

Foi só em 1968 que começou sua carreira de ator, na emissora TIM, em séries como “Los Supergenios de la Mesa Cuadrada” e “El Ciudadano Gómez”, em espaços de 30 minutos de duração aos sábados.

O jornal mexicano "Excelsior" cita a seguinte declaração de Bolaños a um TV espanhola sobre seu personagem mais famoso no Brasil: "Chaves, ainda que carecendo de quase tudo, é otimista, aproveita a vida, brinca, se emociona e tem o maravilhoso dom que é a vida".

O sucesso das histórias do menino sardento de 8 anos que vive dentro de um barril foi tanto que seu programa era transmitido para quase todos os países da América Latina já em 1973. Chaves foi dublado para mais de 50 idiomas e transmitido em países distantes do Tailândia, China, Japão e Grécia.

A série foi produzida originalmente entre 1971 e 1980, como programa independente, e entre 1980 e 1992 como esquete do programa de variedades "Chespirito", que Bolaños estrelou na rede de TV Televisa. Foram mais de 300 episódios, segundo a rede Televisa.
A série "Os Simpsons" homenageou Bolaños com o personagem Pedro Chespirito, que aparece sempre vestido de abelha e fala frases em espanhol.

Roberto ficou conhecido no México pelo nome de Chespirito. Mas foram os programas "Chaves" e "Chapolin", ainda exibidos pelo SBT, que ficaram mais famosos no Brasil.

Distante da televisão, Bolaños explorou a sua veia literária com um livro de poemas e uma autobiografia, "Sem Querer Querendo".
Em um dos seus livros, "O Diário de Chaves", revela alguns dos mistérios da série. Ele conta, por exemplo, que Chaves não morava dentro de um barril, mas no apartamento número oito, e que o recipiente era apenas para se esconder quando estava triste ou era perseguido.

Deixo aqui meu depoimento:
Chaves pode ser uma das séries de comédia mais antiga que já passou em TV, mas fez muito sucesso aqui no país, nos anos 90, posso afirmar isto, pois acompanho a série desde muito novinha, nasci no ano de 1994 e desde muito pequena eu acompanho o seriado.

Ainda me lembro que na escola, tinha um colega que no qual a professora deixava ele improvisar nas comemorações, lembro me que em uma determinada comemoração de dia das mães ele apresentou essa frase:
"Mamãe, mamãe querida, meu coração bate como um caroço de abacate."

Naquela época eu tinha coleções de fita cassete e entre elas eu tinha uma fita que era do KIKO, alias eu até gravei um vlog mostrando essas fitas, é um vídeo um pouco antigo no meu canal e infelizmente, acho que em poucos computadores vai reproduzir o áudio, pois aqui não esta dando para ouvir! O que é uma pena, porém da para ver as imagens onde mostro ela:



Confesso que fiquei meio em choque quando vi a noticia no facebook, porém como não consigo acreditar em tudo que vejo por lá, fui pesquisar no GOOGLE e infelizmente a noticia era verdadeira.
Uma angustia me bateu no coração, o moço que se fazia de menino para arrancar risos de todos, seja ele adulto ou criança, hoje nos deixam lágrimas de saudades.

Roberto Gómez Bolaños
21/02/1929 - Cidade do México
28/11/2014 - Cancún

Fonte: G1 e Declarações pessoais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário